Google+ Followers

segunda-feira, 17 de agosto de 2015

NANOSSATÉLITE SERPENS SERÁ LEVADO A ESTAÇÃO ESPACIAL NA SEGUNDA-FEIRA 17/08/2015

Brasília, 14 de agosto de 2015 – O satélite de pequeno porte Serpens, sigla do projeto Sistema Espacial para Realização de Pesquisa e Experimentos com Nanossatélites, criado pela Agência Espacial Brasileira (AEB), será levado para a Estação Espacial Internacional (ISS), na segunda-feira (17).
.

.
Desenvolvido por estudantes da Universidade de Brasília (UnB) em parceria com alunos de outras instituições de nível superior nacionais e internacionais, o cubsat nacional partirá do Centro Espacial de Tanegashima, no Japão, em direção à ISS, de onde será colocado em órbita em outubro.
.

.
Ele é o terceiro cubsat nacional a ser colocado no espaço, e testará conceitos simples do uso cubesat para o recebimento, armazenamento e retransmissão de mensagens por sistema de rádio.
.

.
O engenheiro mecatrônico e bolsista da AEB, Gabriel Figueiró explica que o projeto Serpens tem como foco principal fomentar a educação espacial do país. “Outro objetivo fundamental da missão é a capacitação de recursos humanos, fator primordial para o desenvolvimento e consolidação dos novos cursos de engenharia espacial brasileiros, requisito importante para o Programa Espacial Brasileiro”, afirma.
.

.
Ele ainda informa que um nanossatélite mede, basicamente, a partir de 10cm x 10cm x 10cm, pesando cerca de 1kg. O Serpens mede 10cm x 10cm x 30cm com quase 3kg de peso.
.

.
Participam do projeto as universidades federais do ABC (Ufabc), de Santa Catarina (UFSC), de Minas Gerais (UFMG) e o Instituto Federal Fluminense (IFF). Do exterior estão envolvidas, as universidades de Vigo, da Espanha, Sapienza Università di Roma (Itália) e as norte-americanas Morehead State University e California State Polytechnic University.
.

.
Segundo Figueiró, esta primeira missão do programa foi coordenada pela UnB, mas a proposta é que cada uma das instituições envolvidas coordene a produção, o lançamento e a missão dos próximos artefatos.
.
.