Google+ Followers

quinta-feira, 10 de setembro de 2015

o Programa Cruzeiro do Sul e o Veículo Lançador de Microssatélites (até 150 kg)

.
VLS-Alfa


O veículo lançador Alfa .é constituído pela parte baixa do VLS-1 como primeiro (quatro propulsores S43) e segundo estágio (um propulsor S43) e por um propulsor a propelente líquido de 7,5 t de empuxo (L75) como estágio superior.
O desempenho do veículo, superior ao do VLS-1, permitirá a colocação de satélites de massas superiores a 400 kg em órbitas equatoriais de 400 km, or 250 kg em órbita equatorial de 750 km.
O VLS ALFA utilizará as mesmas torre de integração e mesa de lançamento construídas para o VLS-1
.
Configuração do VLS-Alfa
.
.
No âmbito da proposta do Programa Cruzeiro do Sul o VLS-1 é o foguete base do VLS Alfa
Configuração é baseada motor L5 - foguete de três estágios , com o estágio superior de combustível líquido , colocando 200 a 400 Kg de satélites em órbita baixas equatorias :
  • Estágio 0 - quatro S-43 motores de foguete
  • Fase 1 - um motor de foguete S-43 TM
  • Fase 2 - um motor de foguete S-40 TM
  • Fase 3 - um motor de foguete L5

Configuração baseada do motor L-45 - dois foguete de dois estágios superior de combustível líquedo , colocando 500 Kg de satélites em órbitas equatorias até 750 Km.
  • Estágio 0 - quatro S-43 motores de foguete
  • Fase 1 - um motor de foguete S-43 TM
  • Fase 2 - um motor de foguete L75
.
VLS-Beta

O VLS-Beta será um veículo lançador de satélites com capacidade para atender às missões de transporte de 800 kg para órbitas equatoriais de até 800 km de altitude, ou satélites de até 550 kg para órbitas heliosincronas.
O veículo Beta utilizará um propulsor a propelente sólido de cerca de 50 t de propelente (P50) como primeiro estágio, um propulsor a propelente líquido de 30 t de empuxo (L300) como segundo, e um propulsor a propelente líquido de 7,5 t (L75) como terceiro estágio
.
Configuração do VLS-Beta
.
.
VLS Beta é uma variante do foguete brasileiro VLS proposto pelo Programa Cruzeiro do Sul. O mesmo terá capacidade para lançar satélites de até 800 quilos em órbita terrestre baixa e está previsto para fazer seu voo inaugural em 2020.
.
O VLS Beta será formado por três estágios, sem propulsores auxiliares. O primeiro estágio usará um propulsor alimentado por combustível sólido de 40 toneladas, o segundo terá um motor de 30 toneladas de empuxo e o último terá 7,5 toneladas de empuxo, com a mesma mistura "Kerolox". Poderá lançar cargas de até 800 kg em órbitas de até 800 km de altitude.
.
VLM-1
.


.
O projeto VLM-1 visa o desenvolvimento de um foguete destinado ao lançamento de cargas úteis especiais ou microssatélites (até 150 kg) em órbitas equatoriais e polares ou de reentrada, com três estágios a propelente sólido na sua configuração básica: dois estágios com o motor S50 com cerca de 10 toneladas de propelente e um estágio orbitalizador com o motor S44. Outras configurações do veículo empregarão um quarto estágio em propelente sólido ou um quarto estágio em propelente líquido e uma versão triestágio com motor de apogeu em propelente líquido.
.

.
Em sua configuração básica, o foguete deverá colocar em 2015 o veículo alemão Shefex 3 em uma trajetória de reentrada na atmosfera terrestre. Nessa configuração há três estágios, sendo os dois primeiros estágios são idênticos e constituídos por motores S50, em fibra de carbono, com 12 t de propelente sólido. O 3° estágio possui a mesma arquitetura do Shefex 2 (experimento alemão), utilizando um motor S44 já qualificado.
.
.

.
.
Brasília, 12 de junho de 2015 – O primeiro voo do Veículo Lançador de Microssatélites (VLM) para teste de qualificação está programado para novembro de 2018. O anúncio foi feito pelo presidente da Agência Espacial Brasileira (AEB), José Raimundo Braga Coelho, na 69ª Reunião Ordinária do Conselho Superior da instituição realizada nesta quinta-feira (11).
.

.
No lançamento a partir do Centro de Lançamento de Alcântara (CLA), no Maranhão, será transportada uma carga útil também para teste. O Lançador é um foguete de três estágios a propelente sólido com capacidade para satélites de pequeno porte com massa de até 150 quilos.
.

.
Desenvolvido pelo Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE) do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA), do Comando da Aeronáutica, com cooperação da Agência Espacial da Alemanha (DLR), o VLM é composto de dois estágios equipados com motor S-50 e um com motor S-44.
.

.
O teste de qualificação do motor S-50, em banco de ensaio, está previsto para janeiro de 2017. O voo de qualificação do VS-50 é programado para novembro do mesmo ano.
.
.
.